05 março 2006

Branquinho num fundo escuro





Póvoa de Varzim: Março 2006
O engenheiro técnico

Confrontado com o facto de o "caso Dourado" ter "beliscado" Aires Pereira dentro da estrutura partidária, o futuro presidente da distrital respondeu: "Aires Pereira é um político de primeira água e não saiu beliscado com esse tipo de coisas porque tem um papel relevante na vida interna do PSD, quer na Póvoa quer no Porto".

Márcia Vara, Póvoa Semanário, 2006.03.01, referindo Agostinho Branquinho, candidato à Distrital do PSD


Quando fala de água, Branquinho deve saber do que fala. Deve conhecer bem os métodos de branqueamento político…
Mas, entre tantos e tantos paradigmas, está ou não o gato escondido com rabo de fora?
Branquinho diz que "é imprescindível contar com Aires Pereira", mas ao mesmo tempo o que se divulga é que Pereira fica de fora da lista branquinha. Um pontapé para cima?


Esputefacto”, como diria o outro engenheiro, regresso a Março de 1992.
Pereira já por lá andava. Em águas aprendizes. Não eram ainda de primeira, que essas pertenciam ao Mentor, o mesmo que havia proporcionado idêntico episódio 14 anos antes.


Póvoa de Varzim: outro Março, o de 1992
O empreiteiro

Num outro ciclo, quando um empreiteiro tomou posse como Presidente do PSD poveiro…
“(…) No final, Fernando Nogueira elogiou Avelino … como “uma força da natureza, um exemplo paradigmático do que é ser militante” social-democrata. (…)
(…) Os panegíricos vieram também de Luís Filipe Meneses, que louvou Avelino… “esse grande militante do partido, um exemplo para todos nós”. (…)

Fernando Marques, Público, 1992.03.09


Sempre é verdade que a História se repete?

7 Comments:

Blogger UNIVERSALEX said...

aH! ah!

efeito terrivel da farinha amparo...eh! eh!


O que a água não faz num rosto!

05 março, 2006 18:03  
Blogger UNIVERSALEX said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

05 março, 2006 18:03  
Blogger Tony Vieira said...

Este post está espectacular. Subtil, mas profundo quanto baste.
Só um reparo arquitecto: a utilização da cor, nos textos, que não seja o branco prejudica bastante a leitura. Como diria o seu comparsa das autárquicas: pense nisso!

06 março, 2006 11:25  
Blogger CÁ FICO said...

Eh! eh!
Tonizão...tu agopra usas ólicus? e capaxinho?

vão-te zurzir nas orelhas , meu.. toma cuidado!

Mas continua...
A povoa sem ti é como um italiano sem cornos...

06 março, 2006 20:26  
Blogger Manuel CD Figueiredo said...

O sr.Branquinho - Agostinho pelo baptismo - está na linha do que há de pior na nossa praça política: querer mostrar, falando, a sua enorme capacidade para se igualar ou mesmo superar os piores, por factos e feitos cometidos.
O provável chefe distrital do PSD-Porto mostra a sua raça: uma desgraça! Não teria feito muito melhor se não pronunciasse uma só palavra sobre o sr.Eng.Técnico? Ligeiramente mais avisado andaria, mas nem disso foi capaz!
Igual ou pior, é mais um entre tantos.
P.S.- feliz deve estar o Dr.Marques Mendes(ainda é o líder do PSD, não é?), por poder contar, para as justas causas, com tal gente.

07 março, 2006 00:50  
Anonymous Um técnico said...

Essa de tratar, com destaque, a pessoa em questão de Eng.º Técnico e apesar de não estar a proferir qualquer mentira, cheira no entanto a malvadez!
Não haverá, por acaso e reportando-nos somente à sociedade poveira, médicos (negociantes de saúde) com capacidade profissional inferior a, por exemplo, muitos enfermeiros; advogados menos competentes que, por exemplo, muitos julgados de paz; arquitectos com menos capacidade criativa que, por exemplo, alguns engenheiros civis? Isto independentemente do assunto aqui em questão.
Um pouco de modéstia não lhe ficava mal.

07 março, 2006 23:40  
Anonymous Anónimo said...

Essa de achar que há malvadez em juntar o "técnico" ao engenheiro cheira a dor de enhegenheiro técnico, ou sentimento de inferioridade mal curada. É óbvio que há bons e meus profissionais em todas as profissões. Mas todas as profissões são dignas. Ou se calhar, não! Um ladrão "profissional", é menos digno do que por exemplo ser apenas um mediano médico, arquitecto ou engenheiro ouengenheiro técnico, não acha Anónimo?
Talvez não tenha percebido o essencial da mensagem. Não creio que o autor estivesse preocupado com títulos académicos...mas com o exercício do poder...a descredibilização da política...

Porque não se preocupou também com a referência a "empreiteiro"? Será que é menos digno do que "empresário da construção civil"?

P.Matos (Empreiteiro, ou empresário da construção civil, se quizer)

08 março, 2006 09:09  

Enviar um comentário

<< Home