08 novembro 2008

CONTRA A CORRUPÇÃO: INTEGRIDADE E TRANSPARÊNCIA



Depois de ter passado noutras cidades, a exposição “CONTRA A CORRUPÇÃO: INTEGRIDADE E TRANSPARÊNCIA” está patente ao público na Sala de Leitura Bernardo Santareno, em Santarém, um trabalho que resultou de uma iniciativa conjunta da Polícia Judiciária, da Direcção Geral das Contribuições e Impostos e da Inspecção-geral de Finanças, que a Câmara Municipal de Santarém acolheu.
Esta exposição tem o propósito de contribuir para a sensibilização do público para a realidade da corrupção através de uma mensagem de prevenção. Constituindo “um apelo à cidadania responsável e participativa” é uma “oportunidade de reflexão para a toda a sociedade”.

Sei que há quem tenha mau humor e mais horror à democracia participativa, à transparência e à informação partilhada…mas não resisto a fazer o desafio: porque não trzaer cá a exposição e promover um debate sobre o tema?

E já agora, porque não voltar a colocar em cima da mesa o Código de Ética que apresentámos na reunião de Câmara de 20 de Fevereiro de 2006 e que a maioria PSD chumbou, deixando um rasto de regulamentofobia, bem ao contrário da Ética republicana?

Eis um extracto da fantástica declaração justificativa que os autarcas do PSD então apresentaram para fugirem a um compromisso político que só dignificaria o exercio do poder local:
Dois mil anos antes de Montesquieu, no outro lado do mundo, Confúcio pregava que “o governo é sinónimo de rectidão: se o soberano ousar seguir o caminho recto, quem ousará desviá-lo dele?” Significa esta máxima que o bom governo e o destino dos povos é assegurado mais pelos homens do que pelas leis. Montesquieu e Confúcio são, hoje, neste quadro, e entre nós, perfeitamente actuais. É doloroso constatar que ainda continuamos a pensar que tudo resolvemos a golpes de magia legislativa, comprazendo-nos com possuir, em muitos sectores, as melhores legislações do mundo – ao mesmo tempo que valorizamos a capacidade de contornar a lei.”
in Declaração de Voto do Presidente da Câmara e Vereadores do PSD

O bom governo é assegurado mais pelos homens do que pelas leis! De facto, de que serviu a lei se o homem foi capaz de criar o famoso Caso Dourado?
Afinal, sempre há quem valorize a capacidade de contornar a lei…e a ética! Não foi o fascinante líder que reconheceu publicamente que, depois da reforma compulsiva e da expulsão da Câmara, a decisão de nomear Dourado para a empresa municipal Varzim Lazer foi eticamente errada?

3 Comments:

Anonymous Renato de Argivai said...

atransparência começa na escolha dos candidatos a eleições em qualquer partido...

09 novembro, 2008 09:58  
Blogger Manuel CD Figueiredo said...

1. Acho muita boa ideia trazer-se cá a referida exposição. A Póvoa tem todas as condições para a receber.
2. Sobre o Código de Ética (que, por uma questão de transparência, deveria ter sido proposto pela maioria), a ideia com que fiquei, e agora se confirma, é que estes senhores só se encaixam no seu próprio código, seja ele qual for!
3. Estamos perante uns "filósofos" de cordel, porque seguem a sua própria "filosofia". Aquilo que os filósofos disseram não se aplica a esta espécie de homens! Escusavam, portanto, de lhes fazerem referência.

09 novembro, 2008 14:12  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

A corrupção é a filoxera que corroi a vinha democrática!

É o cancro que leva ao definhamento total do organismo social.

É a lepra dos novos tempos!

27 fevereiro, 2009 14:36  

Enviar um comentário

<< Home