14 agosto 2008

A FELICIDADE DE SER INCULTO

imagem retirada de rogercarvalho.blogspot.com

(…)
Sendo o segundo espectáculo com maior número de registo de espectadores, logo a seguir ao futebol, a festa mais culta do mundo, a tourada, tem longas e repletas páginas de incontornáveis momentos de glória na história das corridas de toiros na Póvoa de Varzim.
(…)

in “Corrida de toiros de homenagem ao Emigrante”, Póvoa Semanário, ed. 06 de Agosto de 2008



Aqui está uma nova e inédita concepção de Cultura!

É caso para dizer, que sem um tal jornal seríamos todos muito ignorantes e incultos!
Sem um tal jornal,” o trigo cresceria para baixo em vez de crescer para cima”.
E se fazer jornalismo assim “fosse tão fácil, não havia necessidade de espíritos tão esclarecidos”.
É só porque toda a gente é tão estúpida que há necessidade de alguns tão inteligentes”.


5 Comments:

Anonymous Anónimo said...

É copy/paste do press release.

Assim como as entrevistas que são enviadas em primeiro lugar para a câmara municipal e depois de corrigidas, i.e. aprovadas é que são publicadas.

Jornal muito à frente.

15 agosto, 2008 11:45  
Blogger sentidos de coimbra said...

Passados 30 anos – data em que foi aclamada pela UNESCO, em Bruxelas, a Declaração Universal dos Direitos dos Animais –, ainda se olha de lado para quem luta por fazer-se cumprir esta Declaração. Porquê?
A maioria das pessoas desconhece o seu conteúdo? Porquê?

16 agosto, 2008 18:56  
Blogger CÁ FICO said...

o que me preocupa é a animalidade do homo cibernéticus

20 agosto, 2008 03:38  
Anonymous Anónimo said...

Uns gostam de pescar, outros de caçar, outros ainda de criar pintassilgos, outros de cães e gatos, outros ainda de pombos, largando as aves a mais de mil quilometros para que regressem a casa. Uns são respeitáveis cidadãos. Outros, publicamente, disfarçados de boa gente, uns bons safardanas. Uns praticam o bem, outros, fariseus, até vão nas procissões.
Se uns gostam dos animais para os ter na varanda, fechados em casa, ou como companhia, obediente e obscena, prisioneiros sem culpa, outros, gostam dos os ver correr nos campos, saltar obstáculos.
É a diversidade humana, a vida.
Se uns gostam da paz, outros, falam em seu nome como desculpa para a cobardia.
Declarações, universais, são regras, bonitas, liricas, para alguns garantirem desculpas, salvarem um lugar na história,muita demagogia e uns pós de boas intenções.
Sejamos sérios. Como se pode defender alguma coisa, em nome da democracia, da liberdade do que quer que seja, se se é "ANTI"?, se não se respeita o gosto dos outros?. É reprovável gostar de touradas? E de animais em casa, dementes, sofrendo e ganindo? E de safaris?
Apague-se a história. Normalize-se os costumes. Sejamos pela liberdade, mandando fuzilar os outros.
Tenhamos a 'felicidade de ser cultos' sendo contra, do contra, porque em liberdade é fácil, é bonito, é bem. Mas deixemos que os incultos vivam. Gostando de touradas, de futebol, da caça, da pesca, de ler, ou de nadar por aí.


pobeirinho sem ser pela graça de deus

21 agosto, 2008 13:41  
Anonymous Anónimo said...

o burro é quem mais ordena, e o idiota obedece pois o poder político está debaixo do poder economico

e as hienas riem

23 agosto, 2008 17:50  

Enviar um comentário

<< Home