27 outubro 2006

SILÊNCIO PELAS ÁRVORES QUE TOMBAM


FAZ DOER!

As árvores que tombam, seiva que escorre pelas pedras da calçada...
pedaço de natureza arrancado da cidade por capricho ignorante e ordem arrogante do Dr.Mota Serra...
Silêncio!
Desta vez as árvores não morrem de pé!
Tombam abatidas cobardemente no último Outubro da avenida da minha cidade!
Silêncio!
Ouçam por dentro os gritos das árvores assassinadas!
Envergonhemo-nos, já que, depois da batalha perdida, de braços cansadamente caídos, não desfraldámos bandeiras brancas, mas claudicámos!

17 Comments:

Blogger Manuel CD Figueiredo said...

Acrescentar qualquer coisa a este texto, tão bem escrito, mas por razões que fazem mesmo doer, é quase uma profanação. Perdoe-se-me a ousadia, mas não queria deixar de partilhar com o meu Amigo a razão daquilo que tanto nos revolta.
A História Poveira fará o seu juízo!

(P.S.- alguém me disse, há já algum tempo, que o presidente da Câmara não iria repetir, neste caso, o abate que praticou na Praça João XXIII, e que as árvores da Avenida seriam transplantadas para o Parque da Cidade. Se essa operação era possível, foi boato).

27 outubro, 2006 16:22  
Anonymous o pai natal de rabo queimado said...

ao menos este ano nao vai faltar lenha para as lareiras lá na casa dos senhores da CMPV. coitado do pai natal...

27 outubro, 2006 16:34  
Anonymous MMB du Bocage said...

Ó arq. Garcia,

Com o devido respeito, já que o considero bem, deu-me vontade de rir este seu "poema".

Não me rio pelo "poema" em si mas por imaginar as suas futuras "poesias" quando ganhar, como espero que ganhe, a Cãmara da Póvoa. Todas as vezes que V. mandar cortar relva, silvas ou pinheiros, vai fazer poesias tanbém? Muito embora eu seja também contra as asneiradas que se estão fazer na avenida e noutros locais da Póvoa, acho que depois de tomada a decisão temos que ter a maturidade suficiente para andar em frente. Eu acho que isso é o minimo que se deve exigir a um politico.

Dou-lhe um exemplo: quando chegar à Câmara, todos os poveiros esperam que V. desfaça algumas das coisas que lá foram feitas, como é o caso dos funcionários que foram lá colocados pelos actuais vereadores. Ninguém vai ficar à espera que V. seja "poeta" e não desfaça estas injustiças.

Desculpe lá o desabafo mas é para que não haja confusões.

27 outubro, 2006 16:43  
Blogger CÁ FICO said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

27 outubro, 2006 18:54  
Anonymous Anónimo said...

Da minha varanda avisto bandos de pássaros desalojados!
Ninhos que foram profanados.
em alvoroço procuram em debandada,
quem sabe uma casa alugada
para lá terem um filhinho querido
e já agora
que o governo contribuía
com
o rendimento minimo garantido!!!
como faz aos "ABUTRES HUMANOS"


a minha melhor veia poeta.
o ultimo verso não rima, mas ... ... é verdade!!
Olag

27 outubro, 2006 19:19  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Apetece-me recordar aqui uma célebre entrevista dada por Macedo Vieira ao DN (antes do seu primeiro mandato) em que invocava a sua qualidade de médico para "curar" a cidade, segundo ele ,vítima de malfeitorias sem conta pelos seus antecessores.

Agora... ARRANCA-LHE OS PULMÕES!!!!

Será que o CORAÇÃO DA PÓVOA vai a seguir?!!!

Nova versão do filme: "O médico e o monstro"?

28 outubro, 2006 08:08  
Blogger CÁ 70 said...

"A poesia não voltará a ritmar a acção; ela passará a antecipar-se-lhe."

Arthur Rimbaud

28 outubro, 2006 13:30  
Anonymous Anónimo said...

O Arrancar de Pulmões da Nossa Cidade
Os amantes do betão e das obras faraónicas, estão a matar as árvores da Av. Mouzinho!- Adeus frondosas árvores, que a direita não gosta de vós.Que a Av. Mouzinho necessitava de obras de conservação e de embelezamento - não tenho duvidas, mas tenho muitas duvidas da utilidade e até da prioridade da construção do parque de estacionamento no subsolo da nossa Avenida.
José Costa - Morador na Avenida

29 outubro, 2006 20:58  
Anonymous Anónimo said...

na casa dos meus pais
a cebe,
era eu quem a cortava.
começava de manha cedo,
... 1º cortava
depois apanhava tudo,
punha em sacos,
mais tarde os lixeiros levavam.
Hoje, até isto mudaram
Mouzinho de albuquerque,
6ª feira,
as arvores são cortadas,
como caem
como ficam.
Ninguem quer saber de nada.
Penso que lá para 2ª vão limpar aquela "cagada"!!!
Vale tudo!
Olag

30 outubro, 2006 01:26  
Anonymous Pedro Lima said...

O VIEIRA pode estar lixado!
Um dos concorrentes da obra, a FDO, participou contra a Câmara, pedindo a anulação da deliberação aprovada pela maioria com os votos contra do PS, e está agora a pedir uma providencia cautelar...
Que grande barraco!

Que dia z isto Arquitecto?

30 outubro, 2006 16:22  
Blogger CÁ 70 said...

Tentarei informar-me, apesar da Maioria PSD ser completamente OPACA em matéria de informações!

30 outubro, 2006 16:30  
Anonymous Anónimo said...

Os xuxas estão todos lixados!!! Este início de obras é mais uma derrota dos xuxas; é mais uma vitória dos poveiros.

31 outubro, 2006 14:21  
Anonymous Pedro LIma said...

Não sei quem saõ os xuxas!
Os únicos xuxas que conheço, que nos têm xuxado que baste, que andam de BMW e que têm enriquecido à custa de expedientes, esses estão contentíssimos com o negócio da avenida.
Não sei é se a alegria vai durar muito. É que consta que um dos concorrentes da obra já contestou a atribuição da obra ao Monte/ Adriano, que avançou com uma participação no tribunal e que agora e agora com uma providencia cautelar!

Lindo, não é?

Consta que os xuxas laranjas nem sequer querem falar!
E, se a providencia cautelar for aceite pelo tribunal?
Mais uma vez se demonstra a incompetência dos xuxas do PSD! E quem paga são poveiros. Se isso é bom para os poveiros, estamos falados!

Entre as outras razões invocadas, será que este anónimo alaranjado, percebe agora porque é que, responsavelmente, o PS votou contra na Câmara e na Assembleia?

31 outubro, 2006 15:01  
Blogger CÁ 70 said...

A falta de transparência da gestão política de Macedo Vieira e dos seus pares, levou a que só soubesse desta informação pela Comunicação Social!

Mas, porquê tanto segredo?
Porque, pela enésima vez, se demonstra que a maioria PSD decide as coisas no joelho, tal é a "sofreguidão medíática" de mostrar obra?

Aqui vai a informação recolhida no Póvoa Semanário:



As obras da Av. Mouzinho de Albuquerque estão paradas devido a uma providência cautelar apresentada em tribunal pela empresa FDO, uma das que foi preterida no concurso público de adjudicação da requalificação da via e construção de um parque subterrâneo.

A empresa apresentou a proposta com o preço mais baixo para fazer a obra, algo que o próprio presidente da Câmara confirmou à rádio Mar/Póvoa Semanário, na altura em que foram abertas as propostas a concurso. A FDO era dada quase como certa como sendo a vencedora do concurso público, pelo próprio presidente da autarquia.

Mas a decisão da adjudicação viria a recair sobre a Monte Adriano, o que fez com que a FDO interpusesse um recurso contencioso no Tribunal Administrativo do Porto, pedindo a anulação da decisão aprovada em reunião de Câmara.

Mais recentemente, enquanto aguarda a decisão judicial, a FDO, interpôs uma providência cautelar no sentido de embargar as obras que já estavam a decorrer, isto para que sejam acautelados os seus direitos enquanto não é dada a decisão do Tribunal Administrativo do Porto.

Agora a Câmara da Póvoa tem até à próxima Quinta-feira para apresentar a sua posição ao tribunal, que posteriormente irá decidir se as obras continuam paradas ou não.

A Rádio Mar/Póvoa Semanário contactaram com Macedo Vieira, o presidente da Câmara da Póvoa de Varzim, que não quis prestar declarações, confirmando apenas que "a autarquia vai apresentar a sua defesa ao juiz até Quinta-feira". Até lá a Câmara mantém o silêncio sobre este caso.


in ´Póvoa Semanário online

31 outubro, 2006 15:33  
Anonymous Anónimo said...

Porque razão se defendem posições contra o abate quando o abate é o melhor que se podia fazer, a árvores que durante toda a sua vida foram alvo de muitos maus tratos, e estão envelhecidas, a criar perigo para os transeuntes.
Abatam aquelas e criem um Parque Municipal, onde coloquem outras.
Se calhar sei mais do que estou a falar do que voçês Poveiros mal dicentes...

03 novembro, 2006 11:58  
Anonymous José Castro said...

Anónimo
(sempre os eternos anónimos...)

Talvez saibas mais de árvores que os "poveiros mal dizentes"...
É verdade que, durante os últimos anos, estas árvores foram objecto de sucessivos maustratos pelas equipas do "presidente Mota Serra (como lhe chamam neste post).

Só um reparo: fazer um parque da cidade de um lado (lá longe, quase inacessível) e uma cidade pouco naturalizada do outro lado, quase impermeabilizada e uns míseros arbustos, é uma solução pouco interessante do ponto de vista urbanistico, paisagistico e ambiental, que não melhora a qualidade de vida das pessoas.

É preciso uma cidade verde e não uma cidade de pedra ao lado de um parque!

03 novembro, 2006 13:24  
Anonymous MMB du Bocage said...

Ó Zé Castro,

Estou perfeitamente de acordo consigo. Até que enfim que alguém coloca os pontos nos ii's nesta matéria!!!

03 novembro, 2006 15:44  

Enviar um comentário

<< Home