08 outubro 2009

NUVEM DE FUMO




Em 3 de Outubro, no café Aloha, na marginal de Vila do Conde, e no dia seguinte, na FNAC Norteshopping, a Editora O CÃO QUE LÊ, apresentou o livro NUVEM DE FUMO.

No Prefácio a Dr. Maria de Belém Roseira propõe ao leitor:
«…delicie-se com a trama bem urdida, analise-a, cultive-se com as inúmeras remissões sempre espontaneamente feitas, incorpore-as para poder mais lucidamente entender o que se passa no espaço público e interfira neste, intervindo para influenciar no bom sentido.
Assim se cresce em cidadania responsável.
Como referiu Alexis de Tocqueville “A saúde de uma sociedade democrática pode medir-se pela qualidade das funções desempenhadas por cada cidadão”.»


SINOPSE
Numa alternativa à estrutura convencional do romance, o autor desvenda os meandros do modus operandi da política autárquica corrupta e autoritária, e denuncia a caricatura da democracia que serve de nuvem de fumo ao compadrio, ao oportunismo e ao cinismo, à incompetência e à falta de uma cultura dos limites do poder, muitas vezes nutrido pela falta de uma imprensa livre e descomprometida do poder politico local.
O texto ficcional percorre as tramas que envolvem o modo como são escolhidos os candidatos e os interesses económicos que os sustentam. Denunciando o tráfico de influências e a manipulação do poder decisório que ameaça a Democracia, é, também, um quase manifesto a favor da cidade, da ecologia e do desenvolvimento sustentável, que convoca cidadãos engajados para confirmar convicções.
O motivo não é denegrir, mas provocar a reflexão sobre o exercício do Poder Local democrático, defendendo-o enquanto exercício de liberdade e de cidadania e instrumento de progresso.

É na gestão do território que acontece grande parte da corrupção, da falta de transparência, do jogo de bastidores. Um golpe imobiliário é perpetrado por um bando de colarinho branco com Horácio Cunhas no baricentro do triângulo dos interesses. Diante da falsa distracção de Baldrocas, líder da oposição, um dos vértices tem Tutimeia, o construtor do regime. O outro, Redondo, com a camisola do clube de futebol. No terceiro, a dupla Ralha e Manso que, na autarquia, dão a feição legal e aspecto democrático ao negócio.

Algures pode ser em qualquer parte.

14 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Arquitecto, pode dizer-me em que livrarias se pode adquirir o seu livro?
É que fiquei muito curioso!
Pedro Silva

08 outubro, 2009 10:36  
Blogger CÁ 70 said...

Grato pelo seu interesse.
O NUVEM DE FUMO encontra-se à venda nas lojas FNAC.
Além disso, na Póvoa de Varzim, pode ser encontrado na Livraria Graça ou na Livraia Mierva, na Rua da Junqueira. Pode ainda encontrar-se na Livraria Papiro, no Passeio Alegre.
Em Vila do Conde, pode encontrar-se na Livraria Convívio (Av. João Canavarro), na Livraria Aluisa (Praça Luis de Camões)e na Livraria Altino (Rua 25 de Abril).

08 outubro, 2009 10:44  
Anonymous Anónimo said...

23 de OUTUBRO Assembleia Extraordinaria do CDP. Ordem de trabalhos: Venda das instalações

10 outubro, 2009 02:57  
Anonymous Anónimo said...

Caro Arq. Garcia, no seguimento desta vitória "moral" do PS Póvoa nas eleições autárquicas, gostava de lhe agradecer o imenso contributo que deu ao credibilizar, sustentar e permitir que esta tenha sido possível. Não o tería sido sem a sua excelente campanha de há 4 anos. Pena tenho, que hoje não esteja para receber os "louros", pois entendo que a sua coragem e honestidade deveríam, a 4 anos (2013) dar-nos a oportunidade de o ter como Presidente da Câmara. (não retiro qualquer mérito ao Dr. Matos, mas acredito que a credibilidade e independência serão importantes para a Póvoa, e como independente gostava de ver um também independente a coordenar os 1001 interesses poveiros)
PS li o seu livro e não fiquei surpreendido. Ao seu nível, muito bom.

15 outubro, 2009 10:29  
Blogger RENATOGOMESPEREIRA said...

Dissipado o fumo penso que daqui a quatro anos ,qualquer dos ex-candidatos ps está à altura de disputar acãmara e digo mais deveria juntar-se todos na lista à cãmara sendo a ordem arbitrária:
silva garcia, josé cerejeira,gil da costa e renato matos...são estes quatro por excelencia os homens que atravessaram o deserto da oposição ao psd local..deve ser-lhes dada a oportunidade de beberem em primeiro lugar da fonte da liberdade...Só asim o PS se encontarrá com a totalidade de si próprio fazendo efectivamente um todo e não apenas partes...

17 outubro, 2009 17:56  
Anonymous Anónimo said...

MUITO BOA IDEIA!
Um bom desafio para o Renato Matos, se for mesmo esperto, começar já a trabalhar!
E como já demonstrou muitas fragilidades no tratamento dos assuntos - vê-os pela rama, de forma desligada e sem uma visualisação global das coisas...- devia tentar convencer Silva Garcia a voltar para encabeçar a equipa, e devia convidar Cerejeira para a integrar. E já agora, pressinto que quem pode dar um excelente contributo é um jovem que entrou para a Assembleia, um tal Miguel Pinto: ouvi-o na rádio onda viva e deixou-me um excelente impressão. Já o Gil da Costa, esse estragaria a equipa. A sua passagem pela câmara foi um desastre. Entre muitas outras coisas, também votou a favor do casoDourado, quando tudo devia fazer para combater o abuso de poder!!! É preciso não esquecer!!!
Uma boa equipa sim, seria a que incluísse: Silva Garcia, Cerejeira, Renato Matos, Miguel Pinto e mulheres de fibra, é claro!

Ésta ideia também é um desafio para si, caro arquitecto!

Vitor Marques dos Santos

18 outubro, 2009 12:01  
Anonymous Anónimo said...

Absurdo!, ideias absurdas de gente absurda, nada disso faz sentido; A mesma água não passa duas vezes debaixo da mesma ponte!, logo, daqui a 4 anos candidatos adultos, seniores, limpos, credíveis e com ideias para um futuro sustentado, para um novo ciclo politico para a Póvoa; A Póvoa tem que ser pensada para um horizonte de 12 a 20 anos e para isso ser possível são necessárias pessoas experientes e maduras, nada de jovens voluntariosos mas inexperientes. Já imaginaram quais teriam sido os resultados eleitorais se o PS tivesse apresentado listas com gente adulta, madura, limpa, credivel, experiente e de nivel superior?, provavelmente teriam ganho a Câmara, é que ficou evidente que os poveiros estão fartos de Macedo Vieira e do PSD só que as alternativas apresentadas não foram suficientemente crediveis, adultas e convincentes para provocarem a mudança, com outro tipo de gente a candidatar-se os resultados teriam sido muito diferentes.

18 outubro, 2009 20:37  
Anonymous Anónimo said...

Após me ter dirigido ao Arq. Garcia para daqui a 4 anos trabalhar para o futuro da Póvoa, gostava de reforçar uma coisa: a Póvoa, o PS, nunca terá um "mero" (com todo o respeito) jovem que pouco ou nada fez ainda (politica e até profissionalmente falando), como líder desta autarquia. Caro Arq., "atire-se" para as ideias, prepare como nos habitou, com um futuro pensado, equilibrado, sensato, maduro, utilizando a sua vasta experiência de vida. O RMatos poder-lhe-á ser útil pois é certamente combativo, tem boa imagem, até quer reduzir as despesas da câmara, até quer aumentar o nível de emprego e de investimento na nossa zona,mas...como???? ele não sabe, e os poveiros não esperam que um mero advogado que nunca geriu nada...vai gerir o quê?
rodeie-se de GESTORES...quadros jovens que o ajudem (já com alguma experiência, pois ainda existem), mas lidere, para que uma alternativa possa mesmo ganhar daqui a 4 anos. Caso contrário, teremos ou Diamantinos e os sorrisos (vejamos como RMatos com sorrisinhos conseguiu tantos votos) ou o "amigo" condenado...Pense Arqº, pense.

19 outubro, 2009 23:40  
Blogger Manuel CD Figueiredo said...

"Nuvem de fumo" é um compêndio de boas práticas sobre ordenamento do território, urbanismo, desenvolvimento estratégico sustentado e cidadania, práticas essas a que o autor já nos habituou, quer em inúmeros artigos de opinião, quer em propostas/intervenções públicas.
O livro evidencia os desmandos no uso discricionário do poder local (que existe por todo o lado), aponta o convívio reprovável com os centros criadores de corrupção e mostra a baixeza de comportamentos indignos, por hipocrisia e interesses próprios. Por aqui se vê que o abuso do poder também serve para usar e abusar das pessoas!
Será um livro de leitura obrigatória para os políticos arrepiarem caminho e aprenderem a cumprir, e para os eleitores abrirem os olhos e aprenderem a ser exigentes.

20 outubro, 2009 16:07  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Maquiavel não aprovaria este livro. Um político, num contexto de promiscuidades várias, num clima de salve-se quem puder, não pode ser ingénuo, transparente, puro, lírico.

Não aconselho a leitura deste livro a quem quiser conquistar o poder no actual contexto...é preciso saber dançar ao som da música...

Quem quiser tão somente "ir pró céu"... esse sim, deve lê-lo... e divulgá-lo...

24 outubro, 2009 09:58  
Blogger RENATOGOMESPEREIRA said...

Maquiavel nunca seria candidato autarquico...para ele não existiam, equer "rafeiros"era tudo politicos com "peddigree"..eh!eh!

25 outubro, 2009 10:48  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Será que está a chamar rafeiro ao autor do livro?
Não o tenho nessa conta. Mas os políticos de todos os quadrantes me merecem respeito.

Gostaria de realçar aqui o papel de um tal Menezes que, de forma pouco ética, feriu de morte o PS da Póvoa. Quando era necessário unidade para defender Silva Garcia, houve uma horda de divisionistas que fizeram o jogo do adversário. Renato Matos está entre fogos cruzados e não irá longe. Silva Garcia foi alertado por mim próprio para um núcleo duro que lhe estaria a tirar o tapete...

Há lá também um conhecido contabilista que navega nas águas divisionistas para colher dividendos...

Serão esses os «rafeiros»?

26 outubro, 2009 15:28  
Blogger terramar e ar said...

Que ideia...
o mal é muita gente usar aesmo a analogia das situações, em modos e termos não permitidos...
pior é não querer sair da concha, ou querer ser mago dentro da própria lamparina...
Não tenho O meu amigo e camarada JJ no rol da rafeirisse politica...nem nos pedigrees...

gosto de pôr nome às coisas e sou eclético aí também...Há um "rafeiro politico" que até tem um novel blog que pomposamente arvora de argivaionline---mas de argivai ele percebe pivias...mas a laranjada deu-lhe corda..que quer...é assim que nascem e passado uns anitos compram titulos nobiliarquicos, nem que seja ao estilo "novas oportunidades"...
EU não sou rafeiro.. sou vira lata...que é um pouco diferente!!!

Mas não ensino ninguém a farejar...ainda me lembro daquela lição do livro da 3º ou 4º classe:
diz o cão ao lobo
"se eu te ensinasse a farejar á cama me irias matar..."

Menezes fez o que pode...Milhazes também...erraram...mas tentaram corrigir os erros...E fomos longe...desta vez não fomos mais porque não quizemos estender mais as mãos...todos temos a nossa dimensão das culpas...A questão é reconhecê-las...EU errei, tu erraste, nos erramo, vos errastes e eles erraram...esperemos que não se queira continuar a pronunciar o verbo errar no futuro...

26 outubro, 2009 19:56  
Anonymous Anónimo said...

Caro Arquitecto

Li o seu livro. Para além da excelente qualidade literária do texto, queria dar-lhe os meus parabéns pela coragem e inteligência com que trata os temas que ocupam as suas páginas.
Seria bom que Macedo Vieira, Aires e companhia o lessem, embora, provavelmente fiquem incomodados. Que o lessem com mente aberta e aprendessem comtudo o que aí se diz! Mas também era bom que o lessem os camaradas,que muito têm que aprender, igualmente.
Sem que vocêo diga abertamente, acho que dá para compreender os motivos que o levaram a renunciar ao mandato de Vereador. E já agora, também o distanciamento que manteve nas últimas eleições em relação ao seu partido.
Mas, a vida continua, e todos nós precisamos que volte à luta. É óbvio que este livro também é uma forma de lutar pelas suas (nossas) convicções, mas é preciso retomar outro tipo de intervenções. Porque não um movimento de cidadãos independente?
Conte comigo.
A.Rodrigues

31 outubro, 2009 15:19  

Enviar um comentário

<< Home