03 maio 2009

SEIS MILHÕES DE EUROS PARA A CRISE



Que país é este em que nos meteram?
Em ano de crise assolapada chegam três actos eleitorais. O esbanjamento começa com a campanha para as eleições europeias, mas promete não ficar por aí. Como sempre, os gastos são muito mais para fazer o circo e muito pouco para esclarecer.
Como é possível que, no seu conjunto, os principais partidos políticos, com o PSD à cabeça nas despesas anunciadas, logo seguido pelo PS, pelo PCP, pelo BE e pelo CDS/PP, se permitam gastar mais de 6.000.000 de euros em propaganda só para as Europeias?
Chega a ser obsceno tal comportamento, especialmente inaceitável num tempo em que Portugal se encontra numa situação económica e social difícil, com quinhentos mil desempregados e com as empresas com dificuldade de pagar as contas e de sobreviver!

11 Comments:

Blogger terramar e ar said...

Realmente podia-se fazer três em um..ou seja votar para as europeias, legislativas e autárquicas.. só que os senhores autarcas e senhores deputados iam ficar mais cedo no desemprego...e nem sequer podiam ir deférias á custa da "entidade patronal"....e muitos até ficariam já impossibilitados de se recandidatarem...eh1eh1

03 maio, 2009 22:57  
Anonymous Anónimo said...

Seis Milhões de Euros para a Crise?
Que milhões?
O problema é que os partidos de direita, ricos como são, não precisam disto embora se aproveitem desta "benesse" da esquerda que por ser demasiado séria e por não fugir aos impostos, declara todos os proveitos que angaria e tal valor não estava contemplado na lei que já foi feita pela própria direita para cercear o campo de manobra dos partidos de esquerda. Enfim, manigâncias da direita.
Quando se fala com um construtor em tempo de campanha eleitoral ele pede logo 500 contos para o CDS. Outros para o PPD ou PS. Como eles têm a faca e o queijo na mão estão-se marimbambo para a justiça fiscal e agora até fazem o favor de parecer que são generosos, quando não há generosidae nenhuma, entenda-se. O que esta lei vem permitir é que o PC por exemplo possa receber as dádivas dos militantes ou os proveitos da festa do Avante como seria normal. A demagogia do professor Marcelo é que não tem limites ou não seja ele afilhado de quem é ou foi.
Já sou muito velho para aparar golpes...
O Velho Corvo

04 maio, 2009 05:18  
Blogger CÁ FICO said...

oh anónimo..acreditas que há esquerda em Portugal? não me parece!!!A começar pelos sindicalistas burgueses? fosga-se !!!!

05 maio, 2009 05:20  
Anonymous Othelo Ayres said...

Lá vêm os senhores da esquerda falar dos da direita, como se ainda existisse tal distinção. No geral os partidos são todos iguais. Um bando de abutres que se vão deleitando com a carniça fedorenta em que transformaram o pais.
Deixemo-nos de histórias, esquerda, direita, centro, tudo termos ultrapassados. Precisamos de sangue novo, de um novo rumo, de novas opções. O que se nos apresenta a plebiscito é demasiado mão, é demasiado do mesmo... Chega, já estou farto.

05 maio, 2009 19:45  
Anonymous Anónimo said...

Othelo estou contigo pá!, tens toda a razão do mundo: isto já bateu no fundo há muito, estes gajos que andam na politica, só por lá andam porque não têm onde cair mortos, temos que correr com todos eles de vez, desde o BE, passado pelo PC e bloco central até ao PP não passam de funcionários de organizações pagas por todos nós absolutamnete inuteis e que neste momento só se preocupam com a sua sobrevivencia, pobres diabos!!, parasitas!!!, chulos do povo!!!

06 maio, 2009 14:58  
Blogger Manuel CD Figueiredo said...

Para a campanha das eleições para o Parlamento Europeu não são precisos os cartazes parolos (3º mundo)dos partidos/candidatos, e isso custa muito dinheiro. Quando o povo português não percebe o PE, desconhece o que lá fazem os nossos deputados, e não viram ainda nenhuns benefícios dessas bandas, é um crime o dispêndio de tão avultadas quantias! Faltam ainda as Legislativas, e aí vai ser um regabofe despudorado.
Nenhum governante - que parece desconhecer a grave crise que atravessamos - tem o mínimo de moral para recomendar e muito menos impor sacrifícios, quando desbarata 6 milhões! Esquecem-se dos milhões de pobres que temos, dos que vivem na miséria e dos que passam fome!
Haja decoro!

07 maio, 2009 10:40  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

OBSCENO, diz bem!

07 maio, 2009 14:43  
Anonymous Anónimo said...

Ò Otelo dá cá um beijo!!!
Não posso estar mais de acordo consigo.
O mais grave é que esses milhões vão para a campnhas como a de uma candidata que eu vi nos "Prós e contras" que disse:
- que é preciso proíbir o despedimento.
A democracia e a E.U. estão falidas, temos que arranjar outro sistema.
José Tinoco

13 maio, 2009 16:16  
Blogger CÁ FICO said...

Tinoco anónimo..temos que despedir os dirigentes que não gostam de directas já dentro dos partidos...

15 maio, 2009 00:46  
Anonymous Anónimo said...

Dizer que não há esquerda nem direita é pior que o tropa que não sabia fazer o esquerda volver.
Essa é a politica dos tubarões e depois dizem que que os sindicalistas se aburguesaram...
Quando isto der para o torto muitos vão ter de se alinhar e nessa altura não irão perguntar onde fica a esquerda ou onde fica a direita.
A fome é uma realidade.
A divisão de esquerda-direita passa aqui na minha rua, até na minha casa e até em mim mesmo.
Há sempre uma contradição em tudo e que atira com o Mundo para a frente. De outra maneira não passávamos de umas bestas irracionais. O pior é quando toca a reunir.

16 maio, 2009 05:44  
Blogger Larose said...

Enfim ...tá aqui a notícia!
Só a ouvi de raspão ...e pensei, não ouvi bem ..... procurei a confirmação e não encontrei....afinal não foi alucinação minha!

21 maio, 2009 15:44  

Enviar um comentário

<< Home