26 janeiro 2008

O CORO DAS VELHAS




Durante uma entrevista à Antena 1, ANTONIO MARINHO PINTO, recém-eleito Bastonário da ORDEM DOS ADVOGADOS, disse existir em Portugal “uma criminalidade muito importante, do mais nocivo para o Estado e para a sociedade”. “Andam por aí impunemente alguns a exibir os benefícios e os lucros dessa criminalidade e não há mecanismos de lhes tocar. Alguns até ostensivamente ocupam cargos relevantes no Estado Português”, declarou.

Marinho é jurista, é Bastonário da Ordem e não consta que seja irresponsável ao ponto de falar do que não existe. De facto, Marinho falou do que se diz por aí em surdina, mas logo veio o coro das velhas reclamar por provas!
Ao contrário, o mais certo é que tudo permaneça na mesma, enquanto que não for exigido aos que ostentam estranhos sinais exteriores de riqueza que expliquem como, inopinadamente, passaram a gordos e lambuzados proprietários, apesar das parcas remunerações públicas que auferem!

7 Comments:

Blogger CÁ FICO said...

JJ o k mais me chocou foi ver alguns responsáveis partidários armados em virgens (im)púdicas.. como se aquilo que o Marinho disse já não tivesse sido proferido até por outras gentes de renome a respeito do poder autárquico e da sua relação com o mundo do futebol... gostei da reacção do Luis Filipe Meneses...e do Sócrates que disse que o Marinho não se referia a nenhum dos seus ministros..eh!...eh!
Marinho e Pinto prestou um valioso serviço ao Povo com estas afirmações e colocou a Ordem que dirige à margem do fenómeno "corrupção" com que muitos a pretendem denegrir...

26 janeiro, 2008 22:42  
Blogger Manuel CD Figueiredo said...

De tempos a tempos, e desde há anos, aponta-se em Portugal a questão dos crimes de colarinho branco e dos indícios (e casos) de corrupção. Voltámos sempre à estaca zero, com a diferença de novas promessas de combate ao flagelo. Sem resultados! Para isso prometem-se reformas (e "eles" reformam-se...). Agora que o Bastonário da Ordem dos Advogados pôs o dedo na ferida (já estava à espera), queixam-se os "ofendidos" que é um exagero e que está tudo bem (para eles e seus confrades. Ou me engano muito ou não tarda a rebentar a bernarda, e enquanto isso não acontece, continua a engorda...

27 janeiro, 2008 16:16  
Blogger cadeiradopoder said...

É a velha história de fazer incidir o ónus da prova da origem do enriquecimento sobre os visados.
Ora, como seria impossível para muitos titulares de cargos públicos justificar os seus bens logo a partir do 2º apartamento e dos carros de luxo toca de não aprovar uma lei dessas.

27 janeiro, 2008 17:33  
Blogger sentidos de coimbra said...

António Pinto sintetizou, deu luz e nome a tudo quanto nos vem pasmando. Dia após dia, jornal após jornal, ali. Diariamente.
E agora?
Agora recolhem-se as violas e exibem-se os escudos.
Querem ver que o homem sonhou?

27 janeiro, 2008 22:37  
Anonymous Anónimo said...

Portaria 59/2005
Quantas vezes já aqui referi que esta Portaria ilegal anda a encher os bolsos de ex-ministros e grandes grupos económicos?
Quantas vezes já pedi que se investigue?
Pedi à PJ, PGR, anterior e actual Presidente da República, etc.
Respostas, nenhuma, agoa apareceu um homem que toca na ferida e já o querem julgar, a Portaria 59/2005 é ilegal viola a Constituição Portuguesa e pasmem, tem data do dia em que o santana lopes pediu a demissão do governo.
Tudo na trombas de quem agora diz que não é nada com o actual governo, senão é, é com quem então?
Tanto é ladrão o que assalta como o que faz de conta que nada viu. Este governo é uma vergonha ao pactuar com a Portaria 59/2005

É fartar vilanagem, o País está a saque

28 janeiro, 2008 19:52  
Anonymous Anónimo said...

Boa noite

Falta saber agora se certo campo de golfe criado em Ponte de Lima foi feito com dinheiros do SIVETUR ao abrigo da Portaria 59/2005, se foi, o Marinho Pinto estava-se a referir a certos PALHAÇOS que governam esta terra.
Sim esta terra chamada Póvoa de Varzim, PALHAÇOS esses que investem pelos lados de Ponte de Lima e não por cá.
Pergunto: se amam tanto a Póvoa porque vão investir fora?
Será facilidades nos impostos ou outras facilidades dos impostos?
Mas, reservo o meu direito de não questionar de onde auferiram dos dinheiros para serem donos de tais terras.
O povo que é trengo, costuma dizer: quem cabritos tem e cabras não tem, de algum lado lhe vem.

29 janeiro, 2008 20:16  
Anonymous Nobre Burguês said...

"De facto, Marinho falou do que se diz por aí em surdina, mas logo veio o coro das velhas reclamar por provas!"

Meu caro, é assim que as pessoas civilizadas funcionam, provam aquilo que insinuam.
É que se não, mais vale estar calado.

08 fevereiro, 2008 16:41  

Enviar um comentário

<< Home