19 junho 2010

SEARA AO VENTO






Em Maio de 2008 andei pelo Palácio da Ajuda à procura dos múltiplos caminhos de “A Consistência dos Sonhos”, magnífica exposição sobre a vida e obra de José Saramago. Duas horas de deslumbramento distribuídas por mil leituras… A páginas tantas, encontrei-me no mesmo largo onde o escritor, de forma desconcertante dizia que “o pior da Liberdade de Expressão é a liberdade sem expressão”. Ouvi-o depois, numa entrevista afirmar que o mais importante é a expressão, e que disso tinha tomado consciência definitivamente…
Assisto agora com tristeza à partida inevitável que, todavia, não significará a morte quando há mil e um motivos para uma permanência intemporal. Com Saramago e a sua literatura irreverente e inconformista, fundada numa postura ética, ficou um modo de escrever, mas também a porta aberta a novos modos de ler e, sobretudo, de olhar as coisas e o mundo...
Estou grato ao homem e ao escritor que acrescentou à vida o que não existia e nos permite fruir dessa nova seara ao vento.

4 Comments:

Blogger Manuel CD Figueiredo said...

Este texto reflecte a melhor homenagem que alguém possa prestar ao escritor José Saramago, e à qual me associo.

19 junho, 2010 14:22  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Nem mais...

20 junho, 2010 10:31  
Blogger Gilda said...

Partilhamos do mesmo sentimento de perda. Saramago dispensa o discurso laudatório de incensadores e o látego de detractores dos seus credos, não- credos e ideologias. A melhor forma de o honrar é ler a sua obra, ela-mesma cheia de expressão: expressão que tudo nomeia, expressão tensa de humanidade.

Lamentavelmente não me foi possível estar presente n' "A Consistência dos Sonhos" em 2008. Todavia, creio que essa consistência será perpetuada no eterno Memorial de sonho e utopia que são os seus livros e a sua existência, como pensador e homem de letras.

Em memória de Saramago, deixo este minuto de silêncio e solidão.

20 junho, 2010 17:45  
Blogger CÁ FICO said...

Não há vida par além da morte...!!! Deus não existe!!!
MORREU O Homem do NIM...
Já não existe...cinzou...!!!
foi a sua escolha foi o seu apocalipse...em sua memória esqueçam-no...!!!Ou então se gostasteis da sua critica e da sua posição ambigua..critiquem-no...Só a Critica não o deixará morrer e poderá redimi-lo do MIM de do NIM Permanente...

21 junho, 2010 15:06  

Enviar um comentário

<< Home