04 maio 2010

VERGONHA CAPITAL



lê-se no JN de hoje.



Os Bancos continuam a ter LUCROS MULTIMILIONÁRIOS, enquanto o país e cada um de nós empobrece!
Como se explica isto?
Porque continua a Banca a pagar menos impostos que outras empresas e que a generalidade dos cidadãos?
Porque ficam impávidos e serenos os governos, de Portugal e da União, assistindo de braços cruzados a este banquete gorduroso e imoral?
Se o dinheiro sobra aos bancos, porque continuam a cobrar por tudo e por nada, e por juros que esganam a vida às pessoas e porque não contribuem com uma boa parte para um fundo comum de solidariedade que seja utilizado no apoio ao desenvolvimento?

6 Comments:

Blogger Manuel CD Figueiredo said...

Encontro duas razões: 1)os governantes - e a UE - não são gente honesta, e por isso, a continuar assim, o sonho Europeu vai ao fundo e não tarda. 2)o mundo - e pricipalmente o nosso país - está virado do avesso.

04 maio, 2010 18:26  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Meu caro...

Ainda não viu que são os bancos que continuam a mandar neste país?

1º As campanhas eleitorais têm neles os maiores financiadores...

2º Os media continuam a estar (como no ante-25 de Abril) nas mãos da banca ou de tentáculos dela...

3º Há medo, muito medo, de a enfrentar. Até a justiça tem entradas de leão e saídas de sendeiro... (vejam-se as operações «furacão» e outros furacões que não dão em nada... ou muito pouco... são ratinhos paridos por montanhas).

08 maio, 2010 11:41  
Blogger CÁ 70 said...

Pois sim, já tinha percebido isso mesmo.
Mas, então por onde anda a matriz reúblicana e socialista do PS no Assembleia da República e no Govermo? Porque nada fazem os políticos (pelo enos os da esquerda inconformista...)para deixarem de ser reféns do poder económico?
De que têm medo, afinal?
Se já não o podem fazer por esbatimento ideológico, ao menos façam-no por inteligência! Até Roosevelt,na crise de 1929/1933, acreditou que era o Estado que tinha que tirar os EUA da severa depressão em que se encontravam...até ele, que não era propriamente socialista, criou diversas agências de recuperação económica e social e, entre elas a Securites and Exchange Comission que tinha como objectivo tentar evitar os excessos que se cometem no mundo financeiro...

08 maio, 2010 15:11  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Enfim, neste país a banca é uma bomba aspirante-premente que aspira mais do que preme... e vai espremendo o tecido econnómico-empresarial.

Quem quiser ser político de topo, não pode dizer mal da banca nem dos banqueiros. Deve lamber as botas ao grande capital e tecer duras críticas aos «que gastam mais do que produzem», aos que «não têm produtividade», esquecendo que os grandes delapidadores da economia nacional são os mentores deste neoliberalismo selvagem que gerou o caos na banca (não intervindo, não controlando), não penalizou os usufrutuários do cavaquismo das vacas gordas, não investiu em ordem a uma reforma estrutural onde a racionalidade económica fosse o paradigma mais funcional.

A banca serve-se da economia (lato sensu) e não está (como devia) ao serviço da economia.

Não é o motor do desenvolvimento económico do país mas sim a alavanca do enriquecimento ilícito e de lavagens suspeitas que geram a hiperdiscrepância nos rendimentos disponíveis pelas famílias portuguesas.

Essa é que é a verdade nua e crua!

11 maio, 2010 09:49  
Anonymous Anónimo said...

boas, caro Arqui. voce tem estado atento as noticias locais?
algumas das suas propostas que referiu na sua candidatura em 2005 estão a ser postas em pratica pelo PSD, como a tarifa da agua, bem como a adesão a energia alternativa.
faça um texto onde pode abordar esta mudança pela maioria.

12 maio, 2010 18:00  
Blogger RENATOGOMESPEREIRA said...

o efeito acelarador da economia eo multiplicador só se fazem com mais investimento...Se os particulares não investem..porque não querem ou não tem para investir só resta ao estado investir...Foi assim que a América "deu o salto" após a crise de 1929...E foi com o programa de conquista do espaço, que os states superaram as crises ciclicas sucessivas e previsiveis...E as guerras do vietnam, coreia e mais recentemente as duas do Iraque permitiram um ainda que insuficiente incremento interno na sua economia...
O Drama da Europa comunitária é que não deixa os paise se endividadem em mais de dez por cento..e isso é uma grande limitação ao investimento...e um controle económico inadmissivel por parte dos grandes grupos económicos já instalados e dominantes do mercado europeu...
Mas nenhu economista derenome vai defender isto pois todos vivem e são dependentes desses grandes grupos de interesses económicos instalados...
Por exemplo: Todos sabemos que os texteis jáderam o que tinham adar e a construção civil no ramo imobiliário habitacional também já está periclitante...como Potenciar e reavivar esses e outros sectores?
resposta: 1-tecnologia; 2- investimento estadual, 3 - investigação ciêntifica e aplicação prática dos inventos e tecnicas daí resultantes...assim:roupa descartável e obtida com produtos não importados a custos da uva mijona...Habitações de auto construção, pré-fabricadas em materiais não pereciveis e de fácil montagem e qualidade de vida...Disponibilização de locais onde essas habitações possam ser implantadas...
4- Abandono completo da necessidade de financiamento bancário para a compra de habitação... O Estado garante e assume...como avalista e credor preferencial...

17 maio, 2010 09:48  

Enviar um comentário

<< Home