04 julho 2006

ESTRUTURA PENSANTE

"Limitamo-nos a aprovar subsídios", queixou-se o vereador do PS.
Silva Garcia quer uma solução que garanta o apoio às colectividades, mas que evite a "perda de tempo" nas reuniões, que deveriam ser mais dedicadas "ao debate das ideias" para a cidade.
De facto, sempre entendi que o Executivo Municipal deveria ser uma estrutura pensante, num espaço de abertura à reflexão e ao debate com o objectivo fundamental de construir as políticas globais e sectorias para o concelho.
Nesse debate, adulto e sem margem para provincianismos, a preocupação principal deveria ser o bem comum e não a mercearia da expressão dos votos.
Mais do que a obcessiva lembrança de uma vitória eleitoral como aval para a ausência de diálogo e um improdutivo autismo, ao futuro e ao desenvolvimento seria útil a disponibilidade para juntar energias.
Se a prática das reuniões fosse o debate sério e construtivo, se a cada um fosse efectivamente dada a oportunidade de contribuir com propostas para potenciar a vocação da nossa terra e superar as suas debilidades, cumprir-se-ía a Póvoa.
E, até numa perspectiva meramente operacional, desse debate ao longo do ano, construir-se-íam por certo melhores e mais fundamentadas opções no momento de elaborar o Plano de Actividades e Orçamento de cada ano.
Mas, o Caudilho, metodicamente zangado, prefere o ruído!
Insiste numa onda oscilatória de decibeis que apenas atordoam:
"O PS ainda não percebeu que quem ganhou as eleições fomos nós e que quem determina a agenda é o PSD", frisou o presidente da Câmara da Póvoa, Macedo Vieira, acusando os socialistas que estarem, "sistematicamente, a apresentar as suas propostas eleitorais, que não são as da maioria".

11 Comments:

Blogger Manuel CD Figueiredo said...

Portugal tem no subsídio o seu modo de estar. Na Póvoa, com esta Câmara de maioria PSD,segue-se a regra(e assim vem sendo nos três últimos mandatos). Embora invocando a «lei dos subsídios», as esmolas dos «bons samaritanos» são concedidas à sua margem, e por isso discutíveis e certamente reprováveis. As associações e colectividades têm que apresentar programas anuais, objectivos a atingir e actividades a realizar, cumprir os estatutos e terem a contabilidade em dia. Quantos dos beneficiários cumprem estas obrigações? Com este sistema há discriminação e compadrio. As próprias associações têm que pugnar para que haja justiça nos subsídios. Na Póvoa, até há discriminaçaão nos subsídios aos Santos, vejam lá!

05 julho, 2006 00:13  
Anonymous pobeirinho sem ser pela graça de deus said...

Irra, que a estupidez já cansa. Afinal os Socialistas apresentam ou não apresentam propostas? Deve ser resultado da reforma, coitado, tão novo e já inválido, o motivo que leva o capataz da camara a gritar aos ventos, umas vezes dizendo que a oposição não dá uma para a caixa, n outras, como agora, a confessar que afinal, eles é que ganharam as eleições, e portanto, eles é que são os donos e senhores das ideias.
Não se canse Arquitecto. Faça o seu caminho, o tempo vai agradecer a sua honestidade e coerencia.

05 julho, 2006 03:37  
Blogger UNIVERSALEX said...

estes tipos só por terem a maioria de entre os poucos cidadão que foramvotar já se julgam donos do mundo.. e os outros? os que não votaram neles, e não votaram sequer? Esses não são de uma maioria ainda maior? E se esses não votaram neles epodiam fazê-lo por certo não eram assim tão a favor deles...
Isto Tudo faz-mer lembrar o atribulado processo de descolonização portugues, onde um punhado de autoeleitos de amnos os lados da barricada cozinhou a infelicidade de colonizadores e colonizados por muitos emuitos anos... escudados numa "legitimidade revolucionária" que em muitos casos não foi sequer ainda sufragada ...[ou seja efectiva e livremente votada pelo povo a quem presumivelmente se destina(va)...]

05 julho, 2006 08:32  
Blogger Clave said...

tive que assistir a algumas reuniões da camara, e de facto fiquei pasmado com o desperdício de tempo a aprovar, por vezes subsídios irrisórios. quando bastava que houvesse um regulamento claro e uma verba incrita no orçamento. claro que esta fórmula interessa a alguém, pois assim naõ há tempo para discutir o essencial.

05 julho, 2006 08:48  
Anonymous Anónimo said...

"O PS ainda não percebeu que quem ganhou as eleições fomos nós e que quem determina a agenda é o PSD".

Não sei quem a disse mas estou totalmente de acordo com esta afirmação.

05 julho, 2006 16:09  
Anonymous Anónimo said...

Meus caros, este confronto de "Vencidos e Vencedores" só descrediviliza a politica e quem a protagoniza localmente. É preciso bom senso e não é desta forma que os "abstinentes" um dia irão às urnas para exercerem o direito mais elementar que qualquer cidadão pode exercer. Mudem de disco a ver se vamos a algum lado.

05 julho, 2006 17:34  
Anonymous Marx said...

Confesso não perceber o que reclama aqui o Arq. Silva Garcia. O PSD é, realmente, maioria no executivo municipal poveiro. Em contrapartida, o PS é minoria. Um e outro foram assim sufragados pelo eleitorado. Que utilizou os seus votos para descriccionar o poder entre os dois partidos. A um, o maioritário (o verdadeiro poder), a outro, o minoritário. Como se sabe, esta é uma das ferramentas fundamentais da chamada democracia representativa. Até, a sua principal regra. Ora, a consequência insofismável disto é que a agenda política passe a ser determinada pelo PSD!

07 julho, 2006 23:40  
Blogger UNIVERSALEX said...

marx está enganado no conceito que dá de democracia representativa...E é por isso que defende que muita gente apoia as cotas demulheres e eu não...
A representatividade democrática significa PARTILHA DO PODER...
Eu termos de Poder Autarquico Poveiro os Votos deram 2/3 aos PSD e 1/3do Poder ao PS...Ora o PSD quer também indevidamente esse !/3 do Poder que pertence efectivamente ao Povo que votou no PS......

....estrapolando par as quotas das mulheres..dando 1/3 do poder a "elas" sem ser por democracia representativa nem por referendo, mas por uma norma cuja constitucionalidade é discutivel esse um terço delas é uma usurpaçãoaos outros ou outras que desse maniqueismo não queiram participar!

08 julho, 2006 17:24  
Anonymous Anónimo said...

amigos gostava de ver algumas questoes resolvidadas mas a minha opiniao e a seguinte nem sempre a maioria tem boas ideias e numa democracia tem que se dar ouvidos ao outros que o povo os elegeu agora deixo uma para voces ver a força da maioria..........
porque que a maioria nao deixa o ps ter acesso aos documentos adnistrativos da autarquia? a algo que escondar?.....

08 julho, 2006 18:37  
Anonymous Marx said...

Creio haver temas passíveis de diferentes interpretações, leituras ou discussões. Sempre. Mas haverá outros que não. Absolutamente. Será o caso do conceito de Democracia Representativa. Sejamos, pois, claros. Democracia Representativa é uma realidade político-eleitoral em que o poder é exercido pelos representantes eleitos pelo povo. (Contrariamente ao conceito de Democracia Directa, onde o poder é exercido diretamente pelo povo.) Ipsis verbis.

As outras questões que Universalex aqui acrescenta (quotas reservadas a mulheres e partilha do poder) não terão nada a ver com isto. Derivarão, já, de e para outras realidades.

08 julho, 2006 23:17  
Blogger CÁ FICO said...

marx então para que serve a aplicação Metodo de Hondt aos resultados eleitorais? Não é para tornat efectiva essa democracia representativa? O Poder executivo Camarário poveiro é(devia) ser exercido por nove vereadores, 6psds e 3PS...

O que não seja isto é USURPAÇÃO DE PODER...

09 julho, 2006 13:44  

Enviar um comentário

<< Home