21 julho 2010

PASSOS DE LOUCURA

A PASSOS largos o COELHO quer arrastar-nos para o passado, para trinta e seis antes do dia de hoje!
Um dia rasguei o ar com a mesma evidencia a outros do mesmo grupo: vocês não precisam de suásticas ao peito porque as têm na alma! Passos merece o mesmo comentário!
É obsceno que os oportunistas que se movem nestes Passos se aproveitem das dificuldades que vivemos - muito por causa das aventuras especulativas dos que sempre ganharam mais do que deviam à sombra do poder - para querem meter-nos em enrascada maior e arranjar-nos pior dificuldade.
A onda salazarista que despreza o estado social ataca e quer acabar com os últimos direitos conquistados com o 25 de Abril. A proposta de Coelho não passa de mais um dos PASSOS para aumentar o fosso que vêm treinado entre ricos e pobres e aumentar o caos social!

"A ruptura liberal que a nova direcção do PSD, sob a liderança de Pedro Passos Coelho, pretende realizar com os valores e os princípios inscritos na Constituição da República Portuguesa, nomeadamente os que têm a ver com os direitos sociais na Saúde, na Educação e no Emprego, constitui a maior ofensiva político-partidária até hoje realizada à memória daqueles que doaram as suas vidas à luta, antes e depois do 25 de Abril, pela causa da Justiça Social. Retirar da Constituição da República o texto que refere que o Direito à Saúde deve ser “universal e tendencialmente gratuito” e, em relação à Educação, subtrair a obrigação ao Estado de “criar um sistema público” e, ainda, no que respeita ao Emprego suprimir a “justa causa” como condição para o despedimento, significa um ‘atentado’ político-partidário aos valores fundamentais de Abril." Diz José Manuel Carneiro e eu concordo!

Se nunca estiveram, agora ainda menos estão seguros a Democracia e o Estado Social. É urgente a vontade e a mobilização contra este avanço inconcebível da Direita Radical.
Estar alerta e disponíveis para a luta, é preciso!

6 Comments:

Blogger Mário de Sá said...

Talvez um bocadinho exagerado o seu «arrastar-nos para o passado, para 36 antes do dia de hoje», «este avanço inconcebível da Direita Radical.»

Tudo isto porque se pretende suprimir a mentira do "tendencialmente gratuito", substituindo-a por uma frase mais realista - admira-me porque não a cita! - e exequível. Ou leu algo que eu não li?

21 julho, 2010 22:07  
Anonymous Anónimo said...

E quando se pensava que nada havia pior do que o Sócrates...

Porque é o Estado Social necessário em Portugal? Comparando o último trimestre de 2007 (para os menos distraídos foi quando começou a crise) com o que se prevê para o último trimestre deste ano há um aumento de quase 50% no número de desempregados. Repito: 50%. Cerca de 2 milhões de portugueses são pobres, ou seja, vivem com menos de 407 euros por mês (valores de 2007). É muita gente. Porém, este número pode vir a crescer tendo em conta que uma das causas da pobreza é o desemprego que, em 2010, poderá atingir mais de 12 por cento dos activos portugueses. Baixos salários, pensões de miséria, precariedade e desemprego levam a situações de risco de pobreza (pessoas que não sendo ainda pobres correm o risco de se tornarem)e pobreza. Estas são as causas da pobreza nos dias que correm e atingem em particular os trabalhadores com baixo nível de qualificações, os idosos e reformados, os desempregados, as mulheres (a esmagadora maioria das famílias monoparentais são sustentadas por mulheres) e, numa nova abordagem da pobreza, os jovens. No final de 2008, em Portugal (dizem-me que fica na Europa), 70 por cento dos trabalhadores tinham salários inferiores a 900 euros.

E é isto. Como o rendimento salarial dos portugueses tem baixado abruptamente, tem que ser compensado com endividamento para que mantenham a aparência do mesmo nível de vida. Como os bancos destruíram o sistema financeiro (propositadamente), e os estados ficaram sem dinheiro (propositadamente) para cobrir o buraco, agora há que acabar com os últimos resquícios do Estado Social que o Partido Socialista (que aliás tem uma posição muito hipócrita neste assunto) ainda não tinha desmantelado.

Giro, giro, vai ser ver o PS arauto do Estado Social quando é o PS o principal responsável nestes 36 anos de democracia pela sua destruição... aos pouquinhos.

Miguel Andrade

22 julho, 2010 17:38  
Anonymous Anónimo said...

E que me diz a isto? A Associação Portuguesa de Bancos acabou de divulgar os resultados da banca referentes a 2009. E apesar dos lucros terem atingindo 1.725 milhões €, a banca deverá pagar, dos lucros obtidos em 2009, apenas 74 milhões € de imposto (IRS mais derrama), o que corresponde a uma taxa efectiva de imposto de 4,3%. Ou seja, os impostos pagos pelos bancos conseguiram baixar ainda mais. Quem governava em 2009? Sei que não responde pelo PS e que tem denunciado estas atrocidades, mas não será isto o que distingue, na sua essência, uma política de direita duma política de esquerda?

Miguel Andrade

22 julho, 2010 18:18  
Blogger Othelo said...

Admiram-se os arautos da esquerda, donos da liberdade e do "estado social", o que quer que isso signifique.
Se o estado social existe hoje, onde está?
Será estado social pagar subsídios a pessoas capazes para ficar em casa sem fazer nada enquanto reformados perdem os descontos nos medicamentos, nas consultas e nos hospitais?
De que estavam à espera?
A seguir a anos e anos de loucuras, de viver acima das nossas possibilidades, de que estavam à espera?
Acabar com o ensino publico?
Mas o que é que se tem feito ultimamente em prol desse "ensino publico" senão tentar acabar com ele? O desrespeito pela classe docente em detrimento de facilitismo para os alunos, de baldas e baldas sucessivas em que os medíocres passam sucessivamente de ano em pé de igualdade com aqueles que com esforço e mérito o fazem.
Acabar com a saúde "tendencialmente gratuita" e promover a saída de quadros especializados em massa para o sector privado. Mas não é isto que tem anos e anos, sucessivamente acontecido?
O que se pretende fazer com esta revisão constitucional do PSD, já tem vindo a ser feito ao arrepio da actual constituição, desrespeitando essa mesma constituição de forma gritante e inadmissível.
Não me venham agora armados em grandes defensores dos direitos fundamentais dos cidadãos consagrados na constituição, porque esta constituição que temos hoje, face à porrada que tem levado ao longos dos anos pelos sucessivos governos, está moribunda e a pedir por misericórdia que a matem para não continuar a ser maltratada.

23 julho, 2010 18:09  
Blogger Othelo said...

Admiram-se os arautos da esquerda, donos da liberdade e do "estado social", o que quer que isso signifique.
Se o estado social existe hoje, onde está?
Será estado social pagar subsídios a pessoas capazes para ficar em casa sem fazer nada enquanto reformados perdem os descontos nos medicamentos, nas consultas e nos hospitais?
De que estavam à espera?
A seguir a anos e anos de loucuras, de viver acima das nossas possibilidades, de que estavam à espera?
Acabar com o ensino publico?
Mas o que é que se tem feito ultimamente em prol desse "ensino publico" senão tentar acabar com ele? O desrespeito pela classe docente em detrimento de facilitismo para os alunos, de baldas e baldas sucessivas em que os medíocres passam sucessivamente de ano em pé de igualdade com aqueles que com esforço e mérito o fazem.
Acabar com a saúde "tendencialmente gratuita" e promover a saída de quadros especializados em massa para o sector privado. Mas não é isto que tem anos e anos, sucessivamente acontecido?
O que se pretende fazer com esta revisão constitucional do PSD, já tem vindo a ser feito ao arrepio da actual constituição, desrespeitando essa mesma constituição de forma gritante e inadmissível.
Não me venham agora armados em grandes defensores dos direitos fundamentais dos cidadãos consagrados na constituição, porque esta constituição que temos hoje, face à porrada que tem levado ao longos dos anos pelos sucessivos governos, está moribunda e a pedir por misericórdia que a matem para não continuar a ser maltratada.

23 julho, 2010 18:09  
Anonymous Anónimo said...

A onda Salazarista é cada vez maior, foi um grande homem que nos livrou da guerra e encheu os cofres com ouro. Foi um homem austero, sem duvida mas foi um homem que sabia o caminho.
Houve algum estadista no pós revolução que tenha deixado uma obra melhor do que a de SALAZAR.
Soares não que deu as ex-colonias e nem soube a quem.
Sá Carneiro não que não tevbe tempo.
Cavaco não que foi sério mas rodeado de lambões (OU "sargentos lateiros")
O Cherne?- Tambem não, ... foi um mole.
Socrates não que não sabe para onde quer ir nem tem ideia para onde vai.
Renato Matos? Não ao que ouvi dizer já é director hospitalar.
Assim, ... deixem crescer a ONDA SALAZARISTA que invade PORTUGAL.
E PONHAM DE NOVO O NOME DE PONTE DE SALAZAR Á PONTE SOBRE O TEJO, porque de 25 de abril éla não tem nada.
José Tinoco

01 agosto, 2010 11:02  

Enviar um comentário

<< Home